EGAP Pesquisadores responsáveis: Mark Buntaine, Sarah Bush, Ryan Jablonski, Daniel Nielson, Paula Pickering
Local: Uganda

Registration: 20151119AA

Datas de intervenção: fevereiro – março 2016 (março 2016 eleições locais para cadeiras e vereadores)

Contexto: Uganda é um país semidemocrático propenso à corrupção e má governação. Uganda regularizou eleições, mas não são normalmente julgadas livre e justamente por monitores externos. Cidadãos ugandeses evidenciam níveis relativamente elevados de consciência política, particularmente a nível nacional. Uma Pesquisa nacional representativa de campo em 2012 revelou que mais do 83 por cento dos ugandenses pode indicar o nome do seu MP; 70 por cento conhecia o nome da representante feminina no parlamento. Quase dois terços dos ugandeses ouvem regularmente as estações da rádio onde os programas de notícias são frequentes (Milner et al. 2014). No entanto, pesquisas sobre a descentralização em Uganda revelou que muitos cidadãos não conhecem todas as funções básicas de governantes locais, o que dificulta a capacidade dos cidadãos de participar nas decisões do governo local, e responsabiliza-os. (Natamba et al., 2010, p. 16). Este estudo está focado no nível local para entender como os diferentes tipos de informação difundida em telefones móveis pode impactar decisões políticas e a decisão dos votantes. Esta pesquisa está baseada em estudos sobre o como afeta a informação de práticas corruptas dos políticos locais na decisão dos votantes. (Ferraz e Finan 2008) e sobre as expectativas dos cidadãos sobre os serviços públicos que oferecem os políticos locais (Habyarimana et al. 2009).

Desenho de pesquisa: O tratamento comum avalia o efeito que tem a gestão do orçamento local nas atitudes e o comportamento dos eleitores. Os eleitores nas mesas de voto que são assignados ao tratamento comum receberam informações produzida pelo auditor geral sobre a percentagem de orçamentos de conselhos locais que não são contabilizados. O tratamento alternativo será 1) eleitores presentes com informações que comparam seus serviços públicos com os serviços de outros distritos, com base em auditorias de campo da qualidade das estradas, a qualidade da água e os serviços de resíduos sólidos; 2) avaliar se os efeitos das informações resultam diferentes quando os eleitores são informados de que doadores estrangeiros têm financiado projetos nos seus distritos. Todos os tratamentos de informação serão divulgados em formato SMS através de telefones móveis.

Hipóteses:
  • A Informação comparativa sobre a qualidade dos serviços públicos vai influenciar a votação porque a informação está diretamente ligada ao bem-estar dos eleitores.
  • Os sujeitos usaram as informações fornecidas quando participarem na política de outras maneiras, como discussões sobre o desempenho dos políticos, entrar em contato com os seus conselheiros, e assinar petições em favor de programas de políticas públicas.
  • As informações favoráveis ​​sobre auditorias de orçamento e serviços públicos deveriam aumentar os votos para o titular, e as desfavoráveis vão aumentar os votos da oposição.
  • Quando as auditorias do orçamento e serviços públicos revelam um desempenho melhor do que o média, os eleitores terão uma percepção mais positiva do desempenho de seus representantes eleitos, do que quando auditorias revelam menor do que o desempenho médio.
  • Os tratamentos informativos podem ter menor efeito em locais que já têm titulares de alta qualidade, poucas irregularidades no orçamento, e bons serviços públicos - que também são susceptíveis de ser locais que estão bem governados, têm cidadãos mais informados e outras características distintas - do que em locais que não o tem tudo isso. (Banerjee et al 2011).