A Iniciativa Metaketa é baseada em oito princípios, que são os seguintes:

1. A coordenação entre as equipes de pesquisa

A Iniciativa Metaketa busca gerar coordenação assim como uma competição saudável entre equipes de investigação financiadas. Os próximos sete pilares da abordagem dependem vitalmente da integração e colaboração. O projeto alcança harmonização através de reuniões hospedadas pelos comités de pilotagem com os candidatos selecionados.

2. Temas predefinidos e intervenções comparáveis

Equipes de pesquisadores trabalharão em questões conexas, e estudarão intervenções comparáveis. Os temas são pré-definidos de duas maneiras: (1) através de perguntas teóricas comuns, e (2) através da seleção de propostas vencedoras, em que vamos priorizar a comparabilidade entre equipes de investigação.

3. Medições comparáveis

As equipes de investigação deverão utilizar medidas consistentes para os resultados acordadas durante as oficinas de pós-financiamento. Os investigadores serão incentivados a empregar métodos mistos para medir os resultados e mediadores do efeito das intervenções, incluindo a recolha de dados qualitativos na fase de implementação.

4. Seleção integrada de casos

As propostas devem teorizar os canais através dos quais uma intervenção pode afetar um resultado, assim como prover hipóteses sobre quais canais podem ser operativos no contexto da pesquisa escolhido. Isto justifica a escolha dos sítios de investigação e permite uma maior especificação de hipóteses sobre os efeitos heterogêneos entre diferentes contextos.

5. Pré-cadastro

A investigação financiada deverá se-apegar ás normas de transparência analítica do EGAP (http://egap.org/resources/egap-statement-of-principles). Particularmente após a revisão de projeto da pesquisa, numa reunião inicial de investigadores financiados e antes do início da coleta dos resultados. Os beneficiados devem fazer um protocolo de estudo que descreva a) o objetivo do estudo; b) as hipóteses a testar; c) as principais variáveis ​​do resultado; e d) o conjunto de provas e a análise de dados que será realizada. Além disso, o grupo de estudos financiados, as comparações, e as análises a serem realizadas a partir do grupo de estudos explicitado serão cadastradas previamente.

6. Análise de terceiros

As equipes de investigação deverão ter a informação disponível para o público para sua replicação independente por parte de terceiros, e para análises financiadas pelo projeto metaketa, tendo em conta a identificação de erros e discrepâncias prévio à publicação. Além disso, no momento da publicação, todos os dados serão arquivados num repositório público (Dataverse) para o seu acesso gratuito.

7. Síntese formal

O cadastro prévio dos grupos permite especificar um plano prévio de meta-análise de distintos experimentos, e uma síntese formal dos resultados experimentais utilizando técnicas de meta-análise multi-nível de padrão Bayesiano. Além disso, as equipes de pesquisa podem colaborar no desenvolvimento dum modelo causal para integrar os resultados, e achar maneiras em que os diferentes contextos podem condicionar efeitos causais. Aqui, a seleção integrada de casos que constrói teoria sobre canais através dos quais as intervenções afetam os resultados, ajuda à estipulação de expectativas de resultados entre distintos experimentos.

8. Publicação integrada

Além dos trabalhos acadêmicos individuais e dos resumos de políticas, todos os pesquisadores financiados e do comité de direção serão coautores de um ou mais livros ou artigos que apresentam resultados dos distintos estudos numa análise integrada.